Cursos presenciais Workshop Fisiofocus TV Blog Contacto

A importância de uma boa classificação no sedestación - 25/01/2018

onia-sedestacion-CROP.jpg

A sedestación é uma ação dinâmica, não estática, que comporta ações propioceptivas, estratégias posturais e movimentos de compensação. Influi de forma semelhante ao bipedismo, já que melhora a relação com o meio e a fisiologia geral, mas está mesmo pode ser patogenicidade e provocarnos lesões em tecidos superficiais ou profundos, aumentar desalinhamentos, potenciar possíveis desequilíbrios musculares ou dificultar processos vitais. Esta é a razão pela qual devemos ter em conta a sedestación como uma terapia em si.

Será muito importante fazer uma boa avaliação em sedestación para detectar padrões assimétricos de nossos usuários, salários e taxas de sedestación em cada momento para poder conseguir um bom posicionamento na cadeira.

O ponto-chave de onde devemos partir em qualquer avaliação de sedestación é uma boa exploração pélvica. Precisamos avaliar a partir de diferentes planos (frontal, sagital e transversal) para detectar todos os mecanismos de ação que estão interferindo sobre a pelve. É muito importante detectar no plano frontal se existe um comportamento hemipélvico ou se, pelo contrário, temos uma inclinação pélvica ( % muito reduzido de casos) e, portanto, um fechamento da pelve ou no plano sagital detectar em que momento temos uma pélvis em retroversión (posição de descanso) ou anteversión (posição de ativação). Devemos ter claro que a posição neutra de 90º já nos leva a uma retroversión pélvica porque os isquiones estão à frente da coluna.

De igual forma, uma vez consigamos um bom posicionamento devemos ser capazes de realizar um trabalho ativo do tronco para melhorar a funcionalidade, o alinhamento axial e ativação de determinados grupos musculares.

 

Ònia Alonso