Cursos presenciais Workshop Fisiofocus TV Blog Contacto

Triatletas e suas lesões mais comuns - 19/01/2017

triatleta2_CROP.jpg

Todos nós conhecemos o esporte olímpico, que engloba as seguintes três modalidades esportivas: ciclismo, atletismo e natação. Estamos falando do triathlon, um esporte exigente, que implica dedicação, muitas horas de treino e freqüentemente ferimentos.

Os triatletas estão expostos a ferir a qualquer momento e tem que saber adaptar-se à mudança de esporte durante um triatlo, já que não são os mesmos músculos que são utilizados nas três modalidades esportivas que se levam a cabo.

Em seguida nós alistaremos as lesões mais comuns que podem sofrer os triatletas dividindo-os por modalidade esportiva.

A natação deve-se prestar especial atenção à coluna cervical e dos ombros. A nível cervical podem nos causar lesões dos movimentos da cabeça para poder respirar e os ombros podem aparecer lesões como tendinopatia do manguito rotador ou luxações de ombro, em ambos os casos há uma certa predisposição para essas lesões se você já teve antes.

No ciclismo a parte cervical como na natação, tem que cuidar também as lombares. Em ambos os casos, é devido a uma má postura durante a competição, assim como também de uma incorrecta posição do guiador. Além dessas duas lesões também se pode dar o inflamações nos tendões dos dedos e dos membros inferiores tendinopatia do tendão de Aquiles, da pata de ganso, e do tendão rotuliano, assim como dores na zona perineal e irritação na pele, que pode causar a cistos, furúnculos e foliculite.

No atletismo ou corrida, as lesões mais comuns que podem ocorrer são a síndrome de cintilla iliotibial, bursite, tendinopatia do músculo poplíteo e, como no ciclismo, tendinopatia do tendão rotuliano. Também pode dar-se periostitis tibial e fraturas por fadiga na área do tornozelo.

É muito importante fazer um bom estudo biomecánico a passo para poder abordar as principais lesões decorrentes do esporte.

Todas essas lesões são comuns nos triatletas? A resposta é sim, se você quiser dar uma boa avaliação e, posteriormente, um bom tratamento. Para adquirir mais conhecimentos a respeito dessas patologias pode frequentar a formação de Análise biomecánico do triatleta, ou outros cursos onde tratamos desses assuntos.